ESTUDANTES DE TERESINA DE GOIÁS VISITAM O PARQUE NACIONAL DA CHAPADA DOS VEADEIROS

Pais, alunos e professores do Colégio Estadual Joaquim de Souza Fagundes, de Teresina de Goiás, participam de Ação Educativa da programação da Olimpíada de Humanidades 2018, no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, realizada pelos arte-educadores do IPEARTES/SEDUCE

Por Kayalú Mendonça

Representantes do do Colégio Estadual Joaquim de Souza Fagundes durante atividade ministrada por Mauro Alves de Araújo pela Olimpíada de Humanidades no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, dia 02 de outubro de 2018. – Foto: Bianca Carvalho

No dia 02 de outubro, representantes do Colégio Estadual Joaquim de Souza Fagundes, de Teresina de Goiás, participaram de uma Ação Educativa da programação da Olimpíada de Humanidades 2018, no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, realizada pelos arte educadores do IPEARTES, Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis.  Estiveram presentes pais, alunos e educadores do Ensino Médio e a ação buscou promover a integração com a natureza socioambiental, histórica-cultural e artística para pleno desenvolvimento do projeto: Kalunga: “O passado abrindo as portas para o (re)conhecimento de um povo”, realizado pelos estudantes e educadores do Colégio.

Representantes do do Colégio Estadual Joaquim de Souza Fagundes durante atividade ministrada por Kátia Rodrigues pela Olimpíada de Humanidades na ASJOR – Associação de Moradores da Vila de São Jorge, dia 02 de outubro de 2018. – Foto: Bianca Carvalho

A Olimpíada tem por objetivo fomentar a realização de projetos de aprendizagem significativos, desenvolvidos pelas comunidades educadoras dos seis municípios que compõe o APA Pouso Alto. Cada escola desenvolve um projeto de apresentação, contemplando uma ou mais linguagens artísticas, entre Teatro, Artes Visuais, Dança, Música e Audiovisual. Os arte-educadores do IPEARTES oferecem visitas aos grupos de trabalho, oficinas de capacitação e suporte técnico pedagógico necessários às ações propostas.

Representantes do do Colégio Estadual Joaquim de Souza Fagundes durante atividade da Olimpíada de Humanidades na ASJOR – Associação de Moradores da Vila de São Jorge, dia 02 de outubro de 2018. – Foto: Bianca Carvalho

Com início em 2017, o projeto desenvolvido pelo Colégio Estadual Joaquim de Souza Fagundes buscou valorizar os saberes populares, explorando e registrando os fatos inerentes à diversidade cultural do município. Em 2018, a proposta tem como aspecto central da metodologia a realização do diálogo investigativo, contribuindo para o desenvolvimento de pequenos grupos de pesquisa entre os educandos. Os participantes expõem suas ideias, praticam a escuta ativa, questionam-se, comparam seus pontos de vista, complementando-os e eventualmente, corrigindo-os. Trata-se de um verdadeiro processo de cooperação intelectual, afetiva e criativa, consciente e moral, que resgata valores importantes para a comunidade atualmente.

Representantes do Colégio Estadual Joaquim de Souza Fagundes durante atividade ministrada por Mauro Alves de Araújo. educador do IPEARTES/SEDUCE, dia 02 de outubro de 2018, na ASJOR – Associação de Moradores da Vila de São Jorge – Foto: Bianca Carvalho

Eleusa Pereira Castro, historiadora, professora nas comunidades quilombolas de Teresina e mãe de Mel Pereira Moraes Castro, aluna do 3º ano do Ensino Médio, conheceu o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros por meio das Olimpíadas de Humanidades e Artes. Ela compartilhou com o grupo aspectos ambientais críticos enfrentados pelo povo Kalunga e destacou a importância de atividades de interação com o Cerrado: “a gente aprende a valorizar e respeitar a nossa mata, o Cerrado e a Natureza. Não adianta usufruir e não aprender a preservar, por isso esse trabalho conjunto é muito importante. A conscientização começa dentro da escola, chega até as famílias e depois na sociedade. Sem ela, nós não vamos sobreviver. É preciso que os jovens saibam que o nosso alimento, nossa água, nossos medicamentos naturais, e até os da farmácia, tudo sai da mata, tudo vem da natureza”.

Clique aqui e acompanhe a nossa cobertura completa de fotos no FLICKR.

Olimpíada de Humanidades e Artes 2018 – Água, Terra, Fogo, Ar e Amor: interseccionando os elementos para proteger a APA Pouso Alto

A Olimpíada de Humanidades e Artes vincula-se ao compromisso do Governo de Goiás em assumir, dentro da agenda da Organização das Nações Unidas (ONU), os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), sobretudo em seu quarto quesito, que diz respeito à Educação de Qualidade. Dando encaminhamentos nesse sentido, a Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte-SEDUCE promoveu a primeira edição da Olimpíada de Humanidades em 2017, articulada ao Instituto Terra e Memória, Conselho Internacional para Filosofia e Ciências Humanas (CIPSH), Ano Internacional do Entendimento Global (AIEG) e UNESCO.

Em sua segunda edição, a Olimpíada de Humanidades 2018 traz o tema: Água, Terra, Fogo, Ar e Amor: interseccionando os elementos para proteger a APA Pouso Alto, criada com objetivo de contribuir com a qualidade da educação oferecida pela rede estadual na região da Chapada dos Veadeiros. A APA de Pouso Alto abrange os municípios de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Teresina de Goiás, Colinas do Sul, São João d’Aliança e Nova Roma, e abriga o total de 872.000 hectares.

Acesse aqui o site da Olimpíada de Humanidades e conheça todos os detalhes dessa ação educativa interdisciplinar entre as áreas de Ciências Humanas e suas Tecnologias e Artes, a partir da elaboração e desenvolvimento de Projetos de professores e estudantes de Ensino Médio da Rede Estadual de Ensino do Estado de Goiás, realizado através do IPEARTES, Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis, vinculado a Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esporte de Goiás, SEDUCE-GO.

O IPEARTES tem como objetivo promover uma educação transformadora, fundamentada na arte-educação e tecnologias sustentáveis, buscando alcançar a formação do ser humano em sua plenitude. Para isso, busca ser referência em educação integral, de maneira a potencializar o desenvolvimento das pessoas, considerando as dimensões cognitiva, física, afetiva e seus processos socioculturais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tamanho da fonte
Contraste