“VISTA MINHA PELE” REÚNE ARTISTAS E MESTRES POPULARES, CELEBRANDO O DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

Espetáculo musical “VISTA MINHA PELE”, produzido pelo IPEARTES/SEDUCE, mobilizou artistas, grupos culturais e mestras da sabedoria popular da região para celebrar o Dia da Consciência Negra, em Alto Paraíso

Por Kayalú Mendonça e Chiara Santos

Alunos da Escola Zeca de Faria jogam Capoeira no espetáculo musical “Vista minha pele” , realizado pelo IPEARTES/SEDUCE, no dia 19 de novembro, em Alto Paraíso – Foto: Bia Carvalho

O mês de novembro mobiliza ações de conscientização acerca das condições histórico-culturais e relativa às tradições da população negra em todo o Brasil e o IPEARTES busca incentivar o reconhecimento das contribuições da população negra na construção deste território, promovendo empatia e identificação das crianças e jovens envolvidos por meio da Arte Educação.

No dia 19 de novembro, véspera do Dia da Consciência Negra, a equipe de arte educadores do IPEARTES ofereceu o espetáculo musical “VISTA MINHA PELE“, com vivências de valorização da Cultura Afro-Brasileira, na Praça do CAT de Alto Paraíso de Goiás. O evento é resultado da parceria entre o IPEARTES, vinculado ao Centro de Estudo e Pesquisa CIRANDA DA ARTE, à Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esporte de Goiás, SEDUCE-GOIÁSo Núcleo de Arte e Pesquisa Paraíso Negro – NAPPAN, o Coletivo Nós por Nós Pretas do Cerrado – CPretaC, a Prefeitura de Alto Paraíso de Goiás e outros apoiadores, e ofereceu apresentações culturais, intervenções artísticas e danças tradicionais, celebrando a Cultura Afro-Brasileira na Chapada dos Veadeiros.

Fabrício Donato, Maria Helena Anjos e Chiara Santos durante o espetáculo musical “Vista minha pele” , realizado pelo IPEARTES/SEDUCE, no dia 19 de novembro, em Alto Paraíso – Foto: Kayalú Mendonça

O espetáculo foi idealizado pelos arte-educadores João de Lima Neto, Lieber Rodrigues e Chiara Santos, que mobilizaram a equipe, principalmente afrodescendentes, do IPEARTES/SEDUCE e demais parcerias para viabilizar sua realização. Deu destaque a várias expressões da cultura negra existentes no território da Chapada dos Veadeiros, que dialogaram harmoniosamente com referências da cultura africana e de outras regiões brasileiras, oferecendo referências positivas de negritude  para as crianças e adolescentes presentes. Utilizando a Arte Educação, um dos princípios do IPEARTES/SEDUCE, foram oferecidas experiências envolvendo artes visuais, apresentações de música, dança e poesia, além de homenagear mestras da sabedoria popular da região.

Dona Páscoa, raizeira e benzedeira de Alto Paraíso e Chiara Santos, arte educadora do IPEARTES, durante o espetáculo musical “Vista minha pele” , realizado pelo IPEARTES/SEDUCE, no dia 19 de novembro, em Alto Paraíso – Foto: Kayalú Mendonça

Estiveram presentes os alunos do Espaço Sofia, do Jardim do Cerrado e da Rede Pública de Ensino, com a Escola Zeca de Faria, além do Educandário Humberto de Campos, localizado na Cidade da Fraternidade, além da presença de alunos, professores, diretores, e da Secretária Municipal de Educação, Nislene Costa Ferreira.

Alunos da Escola Zeca de Faria assistem ao espetáculo musical “Vista minha pele” , realizado pelo IPEARTES/SEDUCE, no dia 19 de novembro, em Alto Paraíso – Foto: Kayalú Mendonça

A Fundação Internacional de Capoeira Angola – FICA Alto Paraiso de Goiás – apresentou uma roda de capoeira durante o espetáculo. Fundado em 2005 o núcleo trabalha na perspectiva da Capoeira Angola não apenas como arte marcial mas também como um instrumento de integração, organização social, política, étnica e cultural, sustentando a prática da capoeira enquanto um saber ancestral da tradição oral de matriz africana, além de desenvolver trabalhos com diversos parceiros, escolas e projetos culturais com objetivo de incentivar a cultura afro-brasileira.

Roda de Capoira da FICA – Fundação Internacional de Capoeira Angola, durante o espetáculo musical “Vista minha pele” , realizado pelo IPEARTES/SEDUCE, no dia 19 de novembro, em Alto Paraíso – Foto: Kayalú Mendonça

Sob a direção de Maria Helena Anjos, arte educadora do IPEARTES/SEDUCE, os alunos da Escola Zeca de Faria apresentaram o Maculelê, dança folclórica brasileira de origem afro-brasileira e indígena, e também homenagearam a Caçada da Rainha, festa tradicional do Nordeste Goiano que remonta à abolição da escravatura e comemora a libertação dos escravos e revive a fuga da princesa Isabel por medo da reação de seu pai, que retornava de Portugal, quando assinou a Lei Áurea.

Alunas da Escola Zeca de Faria apresentam o Maculelê no espetáculo musical “Vista minha pele” , realizado pelo IPEARTES/SEDUCE, no dia 19 de novembro, em Alto Paraíso – Foto: Bia Carvalho

Maria Helena também participou e dirigiu a intervenção artística com a música Pérola Negra, realizada pelas alunas do curso livre de Zumba, oferecido pelo IPEARTES em Alto Paraíso.

Maria Helena Anjos, dançarina e arte educadora do IPEARTES, durante o espetáculo musical “Vista minha pele” , realizado pelo IPEARTES, em Alto Paraíso – Foto: Bia Carvalho

Dona Pascoa e Dona Clementina, duas anciãs e mestras da sabedoria popular de Alto Paraíso, e Aparecida Jesus dos Santos e Vitória da Cunha Batista, da comunidade Kalunga de Diadema, de Teresina de Goiás, foram convidadas a participar da atividade a fim de trazer referências conhecidas do público para serem homenageadas. Elas participaram da cerimonia de Lava-pés e Banho de Cheiro, realizada por Fabrício Donato e Fernanda Vieira, Chiara Santos, Maria Helena dos Anjos e Luiz Henrique Santos.

Cerimônia de Lavapés, homenagem as mestras da sabedoria popular local durante o espetáculo musical “Vista minha pele” , realizado pelo IPEARTES, no dia 19 de novembro, em Alto Paraíso – Foto: Bia Carvalho

O espetáculo contou também com as apresentações solo de Fabrício Donato, professor de dança e morador de Alto Paraíso, em uma performance com a música “Upa Neguinho”, e Chiara Santos, psicóloga, arte educadora do IPEARTES e ativista das questões de Gênero e Igualdade Racial, fez duas intervenções de dança: pela manhã ao som da música Mãe Preta, fazendo referência às mães escravizadas que precisavam deixar seus filhos para cuidar das crianças dos patrões, e à tarde, ao ritmo do Ijexá, de origem africana, dançando ao som de  “Mama Kalunga”  com a participação de mulheres Kalungas da comunidade de Diadema.  

Fabrício Donato e Chiara Santos durante o espetáculo musical “Vista minha pele” , realizado pelo IPEARTES, no dia 19 de novembro, em Alto Paraíso – Foto: Kayalú Mendonça

Luiz Henrique Santos, produtor cultural e arte educador do IPEARTES, declamou a poesia “Ave Maria”, cena 25 da peça “Arena conta e canta Zumbi dos Palmares”, escrita por Gianfrancesco Guarnieri, acompanhado pela música “O Canto das Três Raças”. 

Luiz Henrique Santos declama “Ave Maria”, de Gianfrancesco Guarnieri, durante o espetáculo musical “Vista minha pele” , realizado pelo IPEARTES, em Alto Paraíso – Foto: Bia Carvalho

A comunidade Kalunga de Diadema, localizada na cidade de Teresina de Goiás, marcou presença no evento e emocionou a todos com a  Sussa, dança tradicional da região, que reflete toda a alegria desse povo, e com a Curraleira, ritmo tocado pelo grupo de jovens da comunidade.

Jovens da comunidade Kalunga de Diadema, em Teresina de Goiás, dançam a tradicional Sussa durante o espetáculo musical “Vista minha pele” , realizado pelo IPEARTES/SEDUCE, no dia 19 de novembro, em Alto Paraíso – Foto: Kayalú Mendonça

A energia contagiou a praça e no fim da apresentação. Aparecida de Jesus Santos, compartilhou um pouco da história da comunidade quilombola, do surgimento da Sussa, e frisou a importância da valorização dessas manifestações culturais pelas novas gerações.

Aparecida Jesus de Santos, da comunidade Kalunga de Diadema, em Teresina de Goiás em fala durante o espetáculo musical “Vista minha pele” – Foto: Kayalú Mendonça

O multi-instrumentista Lieber Rodrigues realizou a produção musical, que contou com a Banda do IPEARTES e a participação do artista local Andrei Baltz. João de Lima Neto, ator e arte educador do Coletivo de Produção do IPEARTES, mobilizou toda a equipe para a produção dos painéis decorativos temáticos. Os painéis temáticos criados pelo Coletivo de Produção do IPEARTES foram expostos durante o evento e serão leiloados posteriormente.

João de Lima Neto, arte educador do IPEARTES/SEDUCE, dança com Aparecida Jesus dos Santos, dançarina de Sussa, da comunidade Kalunga de Diadema, durante o espetáculo “Vista minha pele” – Foto: Kayalú Mendonça

O espetáculo musical “Vista minha pele” possibilitou a integração de diversos grupos culturais da região e contou com o apoio da comunidade, prestigiando e divulgando o evento, que contou com a mobilização e apoio de empresas de Alto Paraíso. Agradecemos a Travessia Ecoturismo, Salamandra Moda Alternativa, Taróloga Mina, Geraldo Assistência Técnica em Geladeiras, Eduardo Cabeleireiro, Parada Obrigatória e Mandioca Brasilis pelo apoio e contribuição.

Fernanda Vieira, durante a cerimônia de Lava-pés no espetáculo musical “Vista Minha Pele”, realizado pelo IPEARTES/SEDUCE, no dia 19 de novembro – Foto: Bia Carvalho

ACESSE AQUI NOSSO CANAL DO FLICKR E A COBERTURA COMPLETA DE FOTOS PARA DOWNLOAD.

IPEARTES – Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis

O IPEARTES/SEDUCE busca promover uma educação transformadora, fundamentada na arte-educação e tecnologias sustentáveis, buscando alcançar a formação do ser humano em sua plenitude. Para isso, busca ser referência em educação integral, de maneira a potencializar o desenvolvimento das pessoas, considerando as dimensões cognitiva, física, afetiva e seus processos socioculturais. 

O IPEARTES desenvolve ações educativas em toda a região da APA de Pouso Alto, que inclui as cidades de São João d’Aliança, Colinas do Sul, Cavalcante, Teresina de Goiás e Nova Roma e Alto Paraíso. O Instituto atua no Educandário Humberto de Campos, escola-piloto do projeto, localizada na Cidade da Fraternidade, e também no Centro de Vivências Crescer, Escola Municipal Zeca de Faria, Escola de Educação Infantil Francisquinho, CRAS, Centro de Convivência da Criança e do Adolescente, na Educação de Jovens e Adultos do Colégio Estadual Gerson de Faria, com extensões nas comunidades do Moinho e Sertão, além de atuar na ASJOR – Associação de Moradores da Vila de São Jorge, entre outros espaços educativos da região.

1 thought on ““VISTA MINHA PELE” REÚNE ARTISTAS E MESTRES POPULARES, CELEBRANDO O DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

  1. QUE LINDA MATÉRIA E LINDAS FOTOS!!!! GRATIDÃO KAYALU, GRATIDÃO EQUIPE MIDIALAB, GRATIDÃO CHIARA, GRATIDÃO A TODXS QUE FIZERAM DESSE DIA REALIDADE E LIBERDADE!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tamanho da fonte
Contraste