“BIOECONOMIA: RIQUEZA E DIVERSIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL” É O TEMA DA 3ª OLIMPÍADA DE HUMANIDADES

Na terceira edição, Olimpíada de Humanidades amplia sua área de atuação e traz como tema “BIOECONOMIA: DIVERSIDADE E RIQUEZA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL” 

Alunos e professores da Rede Pública de Ensino durante a viagem de Turismo Educacional – “Percursos Poéticos: reconhecendo nossas Goianidades”, pela 5ª etapa da II Olimpíada de Humanidades, na Cidade de Goiás, dia 16 de fevereiro – Foto: Bia Carvalho

Por Kayalú Mendonça

A Secretaria de Estado da Educação de Goiás, SEDUC-GO, por meio do IPEARTES, realiza a III Olimpíada de Humanidades, evento que promove ações educativas (inter-, trans-) disciplinares entre as áreas de Ciências Humanas e suas Tecnologias e as Artes. A partir da elaboração e do desenvolvimento de projetos de aprendizagens significativas, professores e estudantes do Ensino Médio da Rede Estadual de Educação vinculam em suas práticas educativas temáticas relacionadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). Além dos municípios que já fazem parte da Olimpíada, quais sejam, Alto Paraíso, Cavalcante, Colinas do Sul, Nova Roma, Teresina de Goiás, São João D’Aliança, neste ano de 2019 será incluído o de Monte Alegre de Goiás.

Roda de conversa com estudantes e professores do Colégio Estadual Elias Jorge Cheim, de Cavalcante, durante a Olimpíada de Humanidades 2018 – Foto: Leon Junqueira

A Olimpíada de Humanidades teve seu início no ano de 2017, abordando o tema “Desafios e Responsabilidades para um planeta em transição”. Esta temática fez conexão com a Conferência Mundial de Humanidades, promovida pela ONU no mesmo ano, na cidade de Liége, Bélgica. Aqui, na região da Chapada dos Veadeiros, as atividades aconteceram em todo o território da APA de Pouso Alto, que guarda em sua extensão o total de 872.000 hectares do Nordeste Goiano. 

Estudantes participantes da I Olimpíada de Humanidades, durante Conferência Mundial de Humanidades, realizado em Liège, na Bélgica, em Agosto de 2017 – Foto: Luciana Lima

Já a segunda edição, realizada em 2018, com o tema , Água, Terra, Fogo, Ar e Amor: interseccionando os elementos para proteger a APA Pouso Alto, fomentou em seus processos a cidadania, a reflexão crítica em relação aos problemas locais no sentido de promover o desenvolvimento sustentável e a preservação do Bioma Cerrado.  A Olimpíada de Humanidades está organizada em 05 (cinco) etapas  interligadas: sensibilização, trilha científica, culminância nas escolas (Semana Nacional de Ciências e Tecnologias), Festival de Humanidades e Turismo Educacional, onde as trocas de saberes e aprendizagens vão, ao longo do  desenvolvimento dos projetos, somando experiências singulares e de formação estética.

Pais, estudantes e educadores do Colégio Estadual Marechal Castelo Branco, de Nova Roma, na Trilha Científica realizada no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, pela II Olimpíada de Humanidades – Foto: Leon Junqueira

Com início no mês de abril do presente ano, a etapa de Sensibilização se dará por meio da compreensão crítica de uma performance artística que versará sobre o tema “Bioeconomia:  Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável”. A partir dos projetos das escolas, oficinas serão organizadas com o objetivo de promover processos inovadores e aprendizagens significativas. Na segunda etapa, estudantes e professores participarão de uma Trilha Cientifica pelo Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, ​reconhecido pela UNESCO como Patrimônio Natural Mundial desde 2001, que fica localizado na Vila de São Jorge, em Alto Paraíso de Goiás. A terceira etapa da Olimpíada promove os seminários para apresentação dos projetos desenvolvidos nas Unidades Escolares, durante o período da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações em mais de 1400 instituições de Ensino.                                                       

Sabrina Lira de Moura, aluna do Educandário Humberto de Campos, na apresentação do projeto “Reconstruindo origens e memórias”, durante a XV Semana Nacional de Ciência e Tecnologia – Foto: Bia Carvalho

O Festival de Humanidades, quarta etapa da Olimpíada reúne jovens e educadores de toda a APA de Pouso Alto para a socialização dos projetos desenvolvidos. Por meio de dinâmicas de integração, rodas de conversas, Gincana do Conhecimento e apresentações artísticas produzidas pelas escolas e pela equipe do IPEARTES/SEDUC,  o protagonismo juvenil e a criação de uma rede de comunicação entre os jovens da APA de Pouso Alto são fortalecidos.

Dança Sussa e o ritmo da “Curraleira”, tocado pelo povo Kalunga nas festividades das comunidades Diadema e Ema – Teresina de Goiás, durante o II Festival de Humanidades – Foto: Bia Carvalho

Por fim, a quinta e última etapa estudantes e professores envolvidos na Olimpíada de Humanidades participarão da ação educativa Turismo Educacional “(Re)conhecendo nossas goianidades”, que promove o conhecimento de aspectos arquitetônicos, monumentos artísticos, aspectos poético-literários, marcos sócio históricos e cotidiano de cada cidade visitada, além de promover intercâmbio com outros estudantes do Ensino Médio da Rede Estadual de Educação do Estado de Goiás.

Visita ao Palácio Conde dos Arcos, em viagem de Turismo Educacional – “Percursos Poéticos: reconhecendo nossas Goianidades”, pela 5ª etapa da II Olimpíada de Humanidades, na Cidade de Goiás, dia 15 de fevereiro de 2019 – Foto: Bia Carvalho

Acesse AQUI a cobertura completa de fotos da Olimpíada de Humanidades 2018. Acompanhe nossas redes sociais e saiba mais sobre a próxima edição no Instagram, Facebook e Whatsapp do IPEARTES.

III Olimpíada de Humanidades – Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável

A Olimpíada de Humanidades vincula-se ao compromisso do Governo de Goiás em assumir, dentro da agenda da Organização das Nações Unidas (ONU), os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), sobretudo em seu quarto quesito, que diz respeito à Educação de Qualidade. Dando encaminhamentos nesse sentido, a Secretaria de Estado da Educação de Goiás (SEDUC) promove anualmente a Olimpíada de Humanidades. “A partir de uma problemática local, a Olimpíada busca discutir, refletir, propor e deliberar possibilidades para mudanças socioculturais, nesse momento em que estamos discutindo o papel da educação para um mundo em transição. Nosso desafio é o de preparar os estudantes e cuidar para que esses jovens sejam educados com dignidade e cidadania”, avalia Luz Marina de Alcantara, diretora do Centro de Estudo e Pesquisa CIRANDA DA ARTE, do IPEARTES, e representante da SEDUC no programa dos 17 ODS no Estado de Goiás. 

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são uma agenda mundial adotada durante a Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável em setembro de 2015 composta por 17 objetivos e metas a serem atingidos até 2030. A Secretaria de Estado da Educação, SEDUC/GO, por meio do IPEARTES, atua na região da APA de Pouso Alto para o desenvolvimento do ODS 4, que visa “assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”. 

Em sinergia com o ODS 17, destaca-se a importância de “reforçar a parceria global para o desenvolvimento sustentável, complementada por parcerias multissetoriais que mobilizem e compartilhem conhecimento, expertise, tecnologia e recursos financeiros, para apoiar a realização dos objetivos de desenvolvimento sustentável em todos os países”, além de incentivar e promover parcerias públicas, público-privadas e com a sociedade civil eficazes, a partir da experiência das estratégias de mobilização de recursos dessas parcerias, imprescindíveis para a viabilização dessa agenda. Em 2019, a Olimpíada de Humanidades busca incentivar tais parcerias, trazendo o tema da 16ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, “Bioeconomia: Riqueza e Diversidade para o Desenvolvimento Sustentável” como referência para a elaboração de projetos de professores e estudantes do Ensino Médio da Rede Pública de Ensino. A 16ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, acontecerá de 21 a 27 de outubro de 2019, em mais de 1400 instituições do país. A SNCT, surgiu em 2004 e conta com a colaboração de secretarias estaduais e municipais, agências de fomento, espaços científico-culturais, instituições de ensino e pesquisa, sociedades científicas, escolas, órgãos governamentais, empresas de base tecnológica e entidades da sociedade civil. A SNCT tem o objetivo de aproximar a Ciência e Tecnologia da população, promovendo eventos que congregam centenas de instituições a fim de realizarem atividades de divulgação científica em todo o País. A ideia é criar uma linguagem acessível à população, por meios inovadores que estimulem a curiosidade e motivem a população a discutir as implicações sociais da Ciência, além de aprofundarem seus conhecimentos sobre o tema.  Segundo José Estevão Rocha Arantes, um dos coordenadores da Olimpíada de Humanidades, “essas ações visam a transformação da realidade das pessoas por meio do acesso ao conhecimento. O apoio recebido pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, através da Chamada CNPq/MCTIC-SEPED nº 14/2018 para desenvolver a terceira etapa da Olimpíada, de seminários internos nas escolas participantes em 2018 é o reconhecimento nacional das Ciências Humanas na produção do conhecimento através da Arte”.

Acesse aqui o site da Olimpíada de Humanidades e conheça todos os detalhes dessa ação educativa (inter-, trans-)disciplinares entre as áreas de Ciências Humanas e suas Tecnologias e Artes, a partir da elaboração e desenvolvimento de projetos de professores e estudantes de Ensino Médio da Rede Estadual de Ensino do Estado de Goiás e realizado pelo IPEARTES.

Realização: IPEARTES – Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte, Educação e Tecnologias Sustentáveis, Centro de Estudo e Pesquisa CIRANDA DA ARTE, Secretaria de Estado da Educação – SEDUC-GO.

Apoio: Semana Nacional de Ciência e Tecnologia,  ICMBIO – Instituto Chico Mendes, Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, Prefeitura Municipal de Alto Paraíso, ASJOR – Associação de Moradores da Vila de São Jorge, Cidade da Fraternidade, OSCAL – Organização Social Cristã-Espírita André Luiz e Coordenação Regional de Educação, Cultura e Esporte dos municípios de Campos Belos, Minaçu, Planaltina de Goiás e Posse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tamanho da fonte
Contraste