III OLIMPÍADA DE HUMANIDADES OFERECE CICLO DE OFICINAS DE APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA

O IPEARTES realizou ciclo de Oficinas de Aprendizagem Significativa, pela III Olimpíada de Humanidades, nas escolas públicas de Ensino Médio do Nordeste Goiano

por Kayalú Mendonça

Estudantes do C. E. Joaquim Tomaz Ferreira da Silva, de Colinas do Sul, durante a Oficina de Aprendizagem Significativa realizada no dia 11 de setembro, pela III Olimpíada de Humanidades – Foto: Delcio Gonçalves

De 09 a 13 de setembro, a equipe do IPEARTES  promoveu um ciclo de Oficinas de Aprendizagem Significativa nas escolas públicas de Ensino Médio do Nordeste Goiano, na terceira edição da Olimpíada de Humanidades. A Secretaria de Estado da Educação de Goiás, SEDUC-GO, por meio do IPEARTES, realiza a III Olimpíada de Humanidades, evento que promove ações educativas (inter-, trans-) disciplinares entre as áreas de Ciências Humanas e suas Tecnologias e as Artes. A partir da elaboração e do desenvolvimento de projetos de aprendizagens significativas, professores e estudantes do Ensino Médio da Rede Estadual de Educação vinculam em suas práticas educativas temáticas relacionadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). Além dos municípios que compõem a APA de Pouso Alto:  Alto Paraíso, Cavalcante, Colinas do Sul, Nova Roma, Teresina de Goiás e São João D’Aliança, a Olimpíada de Humanidades ampliou sua área de atuação em 2019, incluindo Monte Alegre de Goiás, e traz como tema “BIOECONOMIA: DIVERSIDADE E RIQUEZA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL“.

Warla Paiva, coordenadora pedagógica do Centro de Estudo e Pesquisa Ciranda da Arte, em fala durante a assessoria pedagógica  ao projeto do C. E. Joaquim Tomaz Ferreira da Silva, de Colinas do Sul – Foto: Delcio Gonçalves

Com início no mês de abril do presente ano, a primeira etapa de Sensibilização, se deu por meio da compreensão crítica de uma performance artística sobre o tema “Bioeconomia:  Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável”. João Vitor Rodrigues Silva, aluno do 2º ano do Ensino Médio do C. E. Joaquim Tomaz Ferreira da Silva, de Colinas do Sul,  participa pela segunda vez da Olimpíada de Humanidades e achou o tema desta edição muito pertinente para a realidade de Colinas: “a Bioeconomia visa o desenvolvimento sustentável da região, que é uma comunidade pequena, financeiramente pobre. É muito importante pensar novas maneiras, novos caminhos para essas pessoas, para que o desenvolvimento econômico esteja em harmonia com o meio ambiente em que vivemos”.

Performance realizada no C. E. Joaquim Tomaz Ferreira da Silva, de Colinas do Sul, no dia 11 de setembro, pela III Olimpíada de Humanidades – Foto: Delcio Gonçalves

Em setembro, a equipe do IPEARTES realizou a assessoria pedagógica dos projetos com os professores e estudantes presencialmente e, tendo em vista a necessidade de compreensão mais apropriada do conceito de Performance, que é a modalidade a ser apresentada como produto artístico criado em consonância ao eixo condutor dos projetos desenvolvidos pelas escolas, foram realizadas as oficinas de Aprendizagem Significativa, com objetivo de sensibilizar estudantes e educadores para a composição de um trabalho artístico. Utilizando-se das linguagens artísticas: dança, música, teatro e artes visuais, a performance teve como expectativas de aprendizagem: ressignificar o olhar sobre contextos e ambientes próximos, tendo em vista a construção dos conhecimentos sobre Arte, Meio Ambiente e Consumo, identificar e compreender diferentes estilos e funções da Arte, fazendo relações com a cultura local, regional e a natureza envolvida, perceber os modos de fazer música e suas aplicações, adquirir noções de sonoplastia, refletir sobre a importância dos timbres na composição, pensar a composição a partir do movimento, vivenciar e contribuir na construção/ressignificação de processos e produtos cênicos em dança, utilizando parâmetros para a apropriação crítica, criativa, consciente e transformadora dos conteúdos, produzir e criar representações cênicas a partir do reconhecimento e utilização das suas próprias habilidades de expressar e comunicar, criando significados a partir de diferentes técnicas, conceitos, e recursos, além de contextualizar e compreender a modalidade teatral performance relacionando-a com o seu cotidiano familiar, cultural e social.

Exibição de curtas-metragens durante a Oficina de Aprendizagem Significativa realizada no C. E. Joaquim Tomaz Ferreira da Silva, de Colinas do Sul – Foto: Delcio Gonçalves

Durante o ciclo de atividades realizado na semana de 09 a 13 de setembro, a equipe do IPEARTES contou com a contribuição de Warla Paiva, coordenadora pedagógica do Centro de Pesquisa e Estudo Ciranda da Arte, também vinculado à Secretaria de Estado da Educação de Goiás – SEDUC/GOIÁS, na condução das atividades. A assessoria pedagógica dos projetos e as oficinas de Aprendizagem Significativa desta etapa, aconteceram conforme o calendário abaixo:

Data

Município 

Unidade Escolar

09/09/2019

Alto Paraíso de Goiás

Educandário Humberto de Campos

09/09/2019

São João D’Aliança

C. E. Frederico Bernardes Rabelo

10/09/2019

Cavalcante 

C. E. Elias Jorge Cheim

11/09/2019

Colinas do Sul 

C. E. Joaquim Tomaz Ferreira da Silva 

12/09/2019

Nova Roma 

C. E. Mal. Humberto de Alencar Castelo Branco

13/09/2019

Teresina de Goiás

C. E. Joaquim de Souza Fagundes

13/09/2019

Monte Alegre de Goiás

C. E. Antônio José Oliveira

Na terceira etapa da Olimpíada, estudantes e professores participarão de uma Trilha Cientifica pelo Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, ​reconhecido pela UNESCO como Patrimônio Natural Mundial desde 2001, que fica localizado na Vila de São Jorge, em Alto Paraíso de Goiás. Segundo o professor Marcelo Paulino Menezes, que leciona Biologia, Física e Ciências no C. E. Joaquim Tomaz Ferreira da Silva, de Colinas do Sul, “as fases do projeto que incluem trabalho de campo, como a trilha cientifica no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, são as que mais cativam e instigam os jovens, que são muito ativos e se empolgam com os encontros na natureza, promovendo maior engajamento do grupo”.

Acesse AQUI a cobertura de fotos, disponíveis para download no FLICKR.


III Olimpíada de Humanidades – Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável

A Olimpíada de Humanidades vincula-se ao compromisso do Governo de Goiás em assumir, dentro da agenda da Organização das Nações Unidas (ONU), os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), sobretudo em seu quarto quesito, que diz respeito à Educação de Qualidade. Dando encaminhamentos nesse sentido, a Secretaria de Estado da Educação de Goiás (SEDUC) promove anualmente a Olimpíada de Humanidades. “A partir de uma problemática local, a Olimpíada busca discutir, refletir, propor e deliberar possibilidades para mudanças socioculturais, nesse momento em que estamos discutindo o papel da educação para um mundo em transição. Nosso desafio é o de preparar os estudantes e cuidar para que esses jovens sejam educados com dignidade e cidadania”, avalia Luz Marina de Alcantara, diretora do Centro de Estudo e Pesquisa CIRANDA DA ARTE, do IPEARTES, e representante da SEDUC no programa dos 17 ODS no Estado de Goiás. 

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são uma agenda mundial adotada durante a Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável em setembro de 2015 composta por 17 objetivos e metas a serem atingidos até 2030. A Secretaria de Estado da Educação, SEDUC/GO, por meio do IPEARTES, atua na região da APA de Pouso Alto para o desenvolvimento do ODS 4, que visa “assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”. 

Em sinergia com o ODS 17, destaca-se a importância de “reforçar a parceria global para o desenvolvimento sustentável, complementada por parcerias multissetoriais que mobilizem e compartilhem conhecimento, expertise, tecnologia e recursos financeiros, para apoiar a realização dos objetivos de desenvolvimento sustentável em todos os países”, além de incentivar e promover parcerias públicas, público-privadas e com a sociedade civil eficazes, a partir da experiência das estratégias de mobilização de recursos dessas parcerias, imprescindíveis para a viabilização dessa agenda. Em 2019, a Olimpíada de Humanidades busca incentivar tais parcerias, trazendo o tema da 16ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, “Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável” como referência para a elaboração de projetos de professores e estudantes do Ensino Médio da Rede Pública de Ensino. A 16ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, acontecerá de 21 a 27 de outubro de 2019, em mais de 1400 instituições do país. A SNCT, surgiu em 2004 e conta com a colaboração de secretarias estaduais e municipais, agências de fomento, espaços científico-culturais, instituições de ensino e pesquisa, sociedades científicas, escolas, órgãos governamentais, empresas de base tecnológica e entidades da sociedade civil. A SNCT tem o objetivo de aproximar a Ciência e Tecnologia da população, promovendo eventos que congregam centenas de instituições a fim de realizarem atividades de divulgação científica em todo o País. A ideia é criar uma linguagem acessível à população, por meios inovadores que estimulem a curiosidade e motivem a população a discutir as implicações sociais da Ciência, além de aprofundarem seus conhecimentos sobre o tema.  Segundo José Estevão Rocha Arantes, um dos coordenadores da Olimpíada de Humanidades, “essas ações visam a transformação da realidade das pessoas por meio do acesso ao conhecimento. O apoio recebido pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, através da Chamada CNPq/MCTIC-SEPED nº 14/2018 para desenvolver a terceira etapa da Olimpíada, de seminários internos nas escolas participantes em 2018 é o reconhecimento nacional das Ciências Humanas na produção do conhecimento através da Arte”.

Acesse aqui o site da Olimpíada de Humanidades e conheça todos os detalhes dessa ação educativa (inter-, trans-)disciplinares entre as áreas de Ciências Humanas e suas Tecnologias e Artes, a partir da elaboração e desenvolvimento de projetos de professores e estudantes de Ensino Médio da Rede Estadual de Ensino do Estado de Goiás e realizado pelo IPEARTES.

Realização: IPEARTES – Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte, Educação e Tecnologias Sustentáveis, Centro de Estudo e Pesquisa CIRANDA DA ARTE, Secretaria de Estado da Educação – SEDUC-GO.

Apoio: Semana Nacional de Ciência e Tecnologia,  ICMBIO – Instituto Chico Mendes, Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, Prefeitura Municipal de Alto Paraíso, ASJOR – Associação de Moradores da Vila de São Jorge, Cidade da Fraternidade, OSCAL – Organização Social Cristã-Espírita André Luiz e Coordenação Regional de Educação, Cultura e Esporte dos municípios de Campos Belos, Minaçu, Planaltina de Goiás e Posse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tamanho da fonte
Contraste