IPEARTES/SEDUC APOIA O PROJETO LIXO ORGÂNICO ZERO NA VILA DE SÃO JORGE

O projeto “LIXO ORGÂNICO ZERO NA VILA DE SÃO JORGE” tem o objetivo de implantar composteiras nas residências e pontos comerciais da Vila de São Jorge

Em maio de 2019, a partir da organização voluntária dos moradores e da ASJOR – Associação Comunitária da Vila de São Jorge, surgiu o projeto “LIXO ORGÂNICO ZERO NA VILA DE SÃO JORGE”, com o objetivo de implantar composteiras nas residências e pontos comerciais da Vila de São Jorge, porta de entrada do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, que recebeu 73.931 visitantes em 2018. Sendo o Turismo a principal fonte de renda da Vila e de seus moradores, a gestão do lixo se faz de extrema necessidade e urgência para o bem estar da comunidade e a preservação da natureza, tendo em vista o grande número de estabelecimentos comerciais locais e turistas que visitam diariamente a vila. O IPEARTES/SEDUC, por meio do Coletivo IPE MIDIALAB, é parceiro do projeto, acompanhando as reuniões e colaborando com as demandas de comunicação, sendo responsável pela criação e manutenção dos canais do projeto no Instagram e Facebook, além da criação da identidade visual e dos materiais gráficos para a divulgação do projeto e de seus eventos.

Reunião do projeto LIXO ORGÂNICO ZERO NA VILA DE SÃO JORGE com a ASSEJOR – Associação dos Empreendedores de São Jorge, dia 01 de junho, na ASJOR – Foto: Anelise Romero (Fundação MAIS Cerrado)

Os moradores Tatiana Ribeiro e Murillo Aleixo Bianchini foram os idealizadores do projeto da ASJOR – Associação Comunitária da Vila de São Jorge, contemplado em um edital da Embaixada Suíça no Brasil, que prevê a compra de uma trituradora das podas de árvores e do composto orgânico dos estabelecimentos comerciais, além do material para a confecção das composteiras caseiras. Além do trabalho voluntário dos moradores, entidades parceiras como o IPEARTES – Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis, da Secretaria de Estado da Educação de Goias – SEDUC/GOIAS, a Fundação Mais Cerrado, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agricultura Sustentável de Alto Paraíso de Goiás, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, a ASSEJOR – Associação dos Empreendedores de São Jorge, o projeto Turma que Faz e diversos comerciantes da vila apoiam essa iniciativa e colaboram na divulgação e realização das ações dos projeto. A partir do dia 23  de outubro, serão realizadas oficinas gratuitas à comunidade para orientação, confecção e uso das composteiras domésticas. O mesmo será feito com os empresários locais, em um trabalho direcionado para o uso coletivo de um Pátio de Compostagem Compartilhado, com os estabelecimentos participantes recebendo um Selo Verde, referência aos turistas que visitam a Vila de São Jorge.

Segunda reunião do projeto “LIXO ORGÂNICO ZERO na Vila de São Jorge”, dia 09 de maio, com a participação de moradores, empresários e voluntários da vila, na ASJOR – Associação Comunitária da Vila de São Jorge – Foto: Anelise Romero (Fundação MAIS Cerrado)

O grupo de voluntários se encontra periodicamente na ASJOR e realizam o planejamento estratégico das ações que são encaminhadas aos Grupos de Trabalhos (GT’s), responsáveis pelas ações de Comunicação, Educação Ambiental, Manejo dos Resíduos e Compra dos Materiais do projeto. A primeira etapa do projeto foi o Diagnóstico, com a aplicação de questionários nas casas e comércios, envolvendo os participantes de todos os Gt’s. O Diagnóstico foi realizado através do preenchimento dos questionários online, eliminando o uso de papel para impressão e a produção de resíduos sólidos, facilitando a tabulação dos dados, agilizando assim o processo de mapeamento e de implantação do projeto, e permitindo o preenchimento contínuo do formulário por novos moradores. A partir da tabulação dos dados coletados, o grupo visualizou um panorama correto sobre a Gestão do Lixo na Vila de São Jorge e, na sequência, realizou o planejamento para a compra dos materiais e realização das oficinas de capacitação da comunidade

Com a planta do Distrito de São Jorge, as áreas foram divididas por setores e distribuídos entre os voluntários, que aplicaram os questionários nas residências e comércios de toda a Vila de São Jorge – Foto: Kayalú Mendonça (IPEARTES/SEDUC)

No dia 07 de junho aconteceu o lançamento oficial do “LIXO ORGÂNICO ZERO NA VILA DE SÃO JORGE”, o evento contou com grande participação da comunidade e de representantes do Poder Público, como Surya Mendes, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agricultura Sustentável de Alto Paraíso, Ricardo Infante, representante do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, Anelise Romero, da Fundação MAIS Cerrado, Kayalu Mendonça, jornalista do IPEARTES/SEDUC, educadores e alunos da Turma que Faz, Murillo Aleixo Bianchini e Tatiana Ribeiro, idealizadores do projeto, Alexandre Almeida, da Janela Aberta Filmes, além dos voluntários, parceiros, moradores e empresários da região.

Após a apresentação da proposta, tivemos a exibição do curta-metragem “Caminho do Lixo”, filme que mostra as etapas da coleta, que sai da Vila de São Jorge e vai para Alto Paraíso, chegando em um aterro onde parte do material fica depositado e parte segue para a RecicleAlto, para ser reciclado. Realizado de forma voluntária por Alexandre Almeida, da produtora Janela Aberta Filmes, o curta mostra a rotina de “Baiano da Coleta”, profissional responsável pelo manejo do lixo na vila e muito estimado pelos moradores. Quem estava presente se comoveu ao assisti-lo, se identificando com o protagonista, empoderando e valorizando esse profissional que cuida diariamente e com muito amor da nossa vila.

Neste dia, foram apresentados os tipos de composteiras que serão utilizadas nas residência e esclarecidas as dúvidas dos moradores sobre o Pátio Comunitário de Compostagem, o Selo Verde e as etapas de implantação do projeto. Um curta sobre “A revolução dos baldinhos”, modelo de gestão comunitária de resíduos orgânicos do bairro de Monte Cristo em Florianópolis – SC, trouxe inspiração para a comunidade, mostrando que a transformação do manejo correto do lixo é possível a todos e em qualquer lugar.

Composteira de Tela, instalada na área externa da ASJOR – Associação Comunitária da Vila de São Jorge – Foto: Alexandre Almeida (Janela Aberta Filmes)

O evento teve o apoio do IPEARTES/SEDUC na produção, divulgação, produção do material gráfico e programação artística infantil, que contou com a Contação de Histórias com temática ambiental, realizada por Rafaela Pandora e Victor Manoel Ribeiro, arte educadores do IPEARTES/ SEDUC, e com a pintura facial realizada voluntariamente pela moradora Magda Steffens. Um lanche coletivo, feito com doações dos voluntários e do Armazém São Jorge, finalizou o encontro, que celebrou a Semana do Meio Ambiente e reuniu a iniciativa pública, privada e a comunidade em prol do manejo correto do lixo na vila.

Rafaela Pandora e Victor Manoel Ribeiro, arte educadores do IPEARTES/SEDUC, realizaram uma a Contação de História, com temática ambiental, durante o lançamento do projeto, dia 07 de junho, na ASJOR – Foto: Anelise Romero (Fundação MAIS Cerrado)

A próxima etapa do projeto é a realização de um Ciclo de Oficinas para a Construção e Manejo das Composteiras, com início no dia 23 de outubro. Cada morador irá fazer sua composteira e levar para casa no mesmo dia, com as instruções de uso e a capacitação para ensinar e multiplicar o conhecimento entre seus familiares, amigos e vizinhos. As oficinas serão semanais e acontecerão toda quarta-feira, a partir das 17 horas, na parte externa da ASJOR –  ASJOR – Associação Comunitária da Vila de São Jorge. Para participar das oficinas e receber a sua composteira, basta preencher o formulário AQUI.

Primeira oficina de Construção e Manejo de Composteiras, ministrada por Tatiana Ribeiro, dia 17 de setembro, no 2° Festival da Primavera na vila de São Jorge – Foto: Festival da Primavera (divulgação)

Dentre as próximas etapas, estão ações de conscientização junto ao projeto Turma Que Faz e nas escolas municipais, utilizando a Arte como linguagem sensibilizadora para a consciência ecológica, visando a consciência ambiental e a transformação do manejo do lixo em nossas crianças e adolescentes. O projeto ainda prevê que, parte do composto orgânico e chorume, fertilizante natural gerado pelo Pátio de Compostagem Comunitário, será utilizado nas hortas comunitárias da Vila e na produção de mudas para revitalização de áreas degradadas do Cerrado, e a outra parte será comercializada, gerando renda para a continuidade e autosustentação do projeto.


Saiba mais sobre o projeto “LIXO ORGÂNICO ZERO NA VILA DE SÃO JORGE” em nossos canais no Facebook e no Instagram.

ASJOR – Associação Comunitária da Vila de São Jorge
Desde 1988, a ASJOR – Associação Comunitária da Vila de São Jorge realiza projetos em benefício da comunidade da Vila de São Jorge, porta de entrada do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, r​econhecido pela UNESCO como Patrimônio Natural Mundial​. São 30 anos de história e lutas em prol do bem-estar da comunidade deste pequeno distrito do município de Alto Paraíso de Goiás. Desenvolveu projetos de educação ambiental em parceria com a organização WWF e realizou, junto à Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge, de 2004 a 2011, o Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros, em fortalecimento da sociobiodiversidade do Cerrado e das comunidades tradicionais da região. Há 13 anos, ajuda na realização do projeto Turma que Faz, junto à arte-educadora Doroty Marques, que foi contemplado em segundo lugar nacional pelo Prêmio Itaú-Unicef 2018. De 2014 a 2016, executou o projeto Plantando Saúde, que implantou um Horto Medicinal Comunitário na Unidade Básica de Saúde da Vila de São Jorge e proporcionou o acesso a diversas terapias e práticas integrativas de saúde à toda a população. A Associação tem cadeira no Conselho Municipal do Meio Ambiente, no Conselho do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e no Conselho Municipal de Turismo, representando a sociedade civil nestes espaços de interlocução com o poder público. Atualmente, a sede é espaço de aprendizagem, com atividades diárias e projetos educacionais, em parceria com parceiros locais e com o IPEARTES/SEDUC – Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte, Educação e Tecnologias Sustentáveis, da Secretaria de Estado da Educação de Goiás. Regularmente promove cursos, oficinas e eventos para a comunidade da vila de São Jorge e turistas da região da Chapada dos Veadeiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tamanho da fonte
Contraste