IPEARTES/SEDUC OFERECE FORMAÇÃO SOCIOEMOCIONAL PARA AS CUIDADORAS DA ESCOLA FRANCISQUINHO

A Secretaria de Estado da Educação de Goiás – SEDUC/GOIAS, por meio do Coletivo Educação Socioemocional do IPEARTES, realizou o encontro “Cuidado com as Cuidadoras” na Escola Francisquinho, da Associação Assistencial Paulo de Tarso, em Alto Paraíso de Goiás.

Rafaela Fontineles, educadora do IPEARTES/SEDUC, durante atividade de Arteterapia da Formação em Educação Socioemocional na Escola Francisquinho – Foto: Délcio Gonçalves

No dia 12 de novembro, o Coletivo Educação Socioemocional do IPEARTES/SEDUC promoveu o encontro “Cuidado com as Cuidadoras” na Escola de Educação Infantil Francisquinho, mantida pela Associação Assistencial Paulo de Tarso, que proporciona gratuitamente trabalho de creche, oficina de informática, oficina de reciclagem de equipamentos elétricos e eletrônicos, música, costura, tricô, alimentação e outros para a comunidade de Alto Paraíso de Goiás. Quinzenalmente acontecem as atividades da Formação em Educação Socioemocional, facilitada por Adriana Gonzales e Rafaela Fontenele, educadoras do IPEARTES/SEDUC, assim como apoio para a equipe de cuidadoras da escola.

Izamara Meyer, terapeuta e presidente da Associação dos Terapeutas de Alto Paraíso, durante atividade “Cuidado com as Cuidadoras” na Escola Francisquinho, dia 12 de novembro – Foto: Délcio Gonçalves

No dia do “Cuidado com as Cuidadoras” foram oferecidas terapias como: Massagem, Reiki, Aromaterapia e Arteterapia, realizados voluntariamente pelas terapeutas da comunidade: Eliana de Souza Martins, Lígia Forrato, Izamara Meyer, terapeuta e presidente da Associação dos Terapeutas de Alto Paraíso, além das educadoras do IPEARTES/SEDUC Adriana Gonzales, terapeuta da Associação dos Terapeutas de Alto Paraíso e psicóloga, e Rafaela Fontenele, arteterapeuta.

Adriana Gonzales, educadora do IPEARTES/SEDUC, durante atividade “Cuidado com as cuidadoras” na Escola Francisquinho, dia 12 de novembro – Foto: Délcio Gonçalves

No dia-a-dia, as cuidadoras lidam com muitos desafios em sua atuação profissional, como o fato de que parte do público atendido é de crianças e famílias em situação de vulnerabilidade social. Para que estejam bem e ofereçam um trabalho de qualidade e cuidadoso à comunidade, é essencial que tenham suporte profissional e qualificado

“Cuidado com as Cuidadoras”, atividade da Formação em Educação Socioemocional do IPEARTES/SEDUC na Escola Francisquinho, em Alto Paraíso de Goiás – Foto: Délcio Gonçalves

Essa ação, que acontece desde 2018, foi recebida com muita alegria pelas educadoras da Escola Francisquinho, sendo lembrado por elas como especial e importante. Foi uma tarde muito prazerosa e acolhedora para todas. Confira a letra da música inspiradora do encontro:
“Escuta, escuta
O outro, a outra já vem
Escuta, acolhe
Cuidar do outro faz bem
Cuidar do outro é cuidar de mim
Cuidar de mim é cuidar do mundo”

IPEARTES – Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis

O IPEARTES, Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis, da Secretaria de Estado da Educação de Goiás – SEDUC/GOIÁS, atua na promoção de uma educação transformadora, fundamentada na arte-educação e tecnologias sustentáveis, estimulando o desenvolvimento do ser humano em sua plenitude. Para isso, busca ser referência em educação integral, de maneira a potencializar o desenvolvimento das pessoas, considerando as dimensões cognitiva, física, afetiva e seus processos socioculturais. 

O IPEARTES desenvolve ações educativas em toda a região da APA Pouso Alto, que inclui as cidades de Alto Paraíso de Goiás, São João d’Aliança, Colinas do Sul, Cavalcante, Teresina de Goiás, Nova Roma e também Monte Alegre. Além das diversas atividades desenvolvidas em sua sede, o Instituto atua no Educandário Humberto de Campos, localizada na Cidade da Fraternidade, e também no Centro de Vivências Crescer, Escola de Educação Infantil Francisquinho, CRAS, Centro de Convivência da Criança e do Adolescente, no Colégio Estadual Gerson de Faria, com extensões na comunidade do Moinho, além de colaborar com a ASJOR – Associação de Moradores da Vila de São Jorge, entre outros espaços educativos da região.

Deixe uma resposta

Tamanho da fonte
Contraste