SOMOS TODOS EXTRAORDINÁRIOS – PARCERIA ENTRE O IPEARTES E A SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NO ZECA DE FARIA

Nos dias 19 e 20 de novembro, estudantes da Escola Municipal Zeca de Faria participaram da celebração “Somos Todos Extraordinários”, parte das atividades desenvolvidas em parceria com o  IPEARTES/SEDUC em 2019.

Estudantes e professores do 5º ano da Escola Municipal Zeca de Faria, na Praça do Bambu, dia 19 de novembro – Foto: Délcio Gonçalves

A Secretaria de Estado da Educação de Goiás – SEDUC/GOIÁS, por meio do Coletivo IPE HUMANAS E LINGUAGENS, representado pela educadora do IPEARTES/SEDUC Monique Alves de Abreu, trabalha em parceria com a Secretaria Municipal da Educação de Alto Paraíso de Goiás oferecendo, por meio da Disciplina de Meio Ambiente, um amplo olhar que não se limite a entender Meio Ambiente apenas como natureza, mas que vá além, desenvolvendo ações que promovam a Educação Integral.

Estudantes do 5º ano da Escola Municipal Zeca de Faria, dia 13 de novembro, em Alto Paraíso de Goiás – Foto: Délcio Gonçalves

No dia 20 de novembro de 2019 aconteceu a celebração “Somos Todos Extraordinários”, no período da manhã, com o objetivo de promover a inclusão, a aceitação das diferenças e a valorização pessoal entre os estudantes da Escola Municipal Zeca de Faria. Para tornar este objetivo possível, a educadora Monique Alves trabalhou em parceria com o educador Gilney Almeida dos Santos e, ao longo de último semestre, desenvolveram leituras, rodas de conversas, debates e a celebração das atividades com os estudantes extraordinários do 5º ano. Segundo Monique, “o autoconhecimento e a convivência com as diferenças pessoais nos diversos espaços da sociedade são importantes habilidades socioemocionais para o desenvolvimento do Ser Humano, em suas diversas etapas da vida, desde a infância, adolescência, vida adulta, melhor idade, entre outras. Na atualidade, problemas como baixa autoestima, bullying e violência alimentam problemas sociais crônicos e que precisam ser observados e trabalhados nos diversos espaços educativos”.

Monique Alves e os estudantes do 5º ano da Escola Municipal Zeca de Faria, dia 13 de novembro – Foto: Délcio Gonçalves

A celebração foi dividida em cinco etapas: apresentação da proposta à direção e corpo docente da escola; a leitura do livro “A Ditadura da Beleza e a revolução das mulheres”, do autor Augusto Cury, realizada pela professora Monique Alves, seguida da discussão dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU; uma roda de conversa com a socióloga, designer de moda e educadora do IPEARTES/SEDUC, Virgínia Pereira da Silva, sobre a diversidade de belezas e aspectos individuais na escola Zeca de Faria; uma roda de conversa com base na leitura do livro “O Extraordinário” do autor R.J. Palacio, pela professora Monique Alves e, finalizando esse resgate da autoestima, um ensaio com o fotógrafo Délcio Gonçalves,  integrante do Coletivo IPE MIDIALAB do IPEARTES/SEDUC, visando capturar a beleza da diversidade e das expressões individuais e coletivas da turma.

Estudantes do 5º ano da Escola Municipal Zeca de Faria, na Praça do Bambu, dia 19 de novembro – Foto: Délcio Gonçalves

O livro “O Extraordinário” foi escolhido como material para o desenvolvimento da atividade, pois mostra aspectos cotidianos da vida de uma criança extraordinária, August Pullman ou apenas Auggie. Auggie é um garoto super inteligente que convive com uma deficiência que gera uma alteração facial, e que por isso, tem dificuldade em aceitar sua diferença. O livro mostra a sua jornada para enfrentar o convívio social e também a importância da construção de sua identidade, autonomia e aceitação. A superação das dificuldades de Auggie é apenas um dos pontos tratados. Em todos os personagens que o cercam, existem aspectos que os tornam pessoas extraordinárias. 

Estudante da Escola Municipal Zeca de Faria, na Praça do Bambu, dia 19 de novembro – Foto: Délcio Gonçalves

A partir da leitura do livro, realizada em parceria com o educador Gilney Almeida, os estudantes do 5º ano puderam discutir diversos aspectos e valores do cotidiano social escolar como a empatia, o respeito, a convivência com as diferenças e diversidade, a autoestima, o amor e a amizade. A leitura do livro “Extraordinário” deu chance aos estudantes para perceberem novas trajetórias pessoais e possibilidades. Segundo Gilney, essa atividade é importante pois “incentiva os alunos a aceitarem as diferenças, e assim, tornarem-se EXTRAORDINÁRIOS”.

Gilney Almeida e Monique Alves com as estudantes  do 5º ano da Escola Municipal Zeca de Faria, na Praça do Bambu, dia 19 de novembro – Foto: Délcio Gonçalves

Anteriormente, a educadora Monique Alves trabalhou o livro “A Ditadura da Beleza e a revolução das mulheres”, um romance que conta a história de uma jovem que buscou acabar com sua vida por não atingir o Padrão Inalcançável de Beleza (PIB), como diz o livro. Durante a análise dessa narrativa, os estudantes puderam observar os padrões impostos pela sociedade e pela mídia, que massacram corpos, mentes e pessoas para atingir um tipo específico de beleza, ignorando toda a beleza que há na diversidade das pessoas, especialmente das mulheres. Na disciplina de Meio Ambiente foram trabalhados os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU, em específico os objetivos 3 e 4, que dizem respeito a Saúde e bem-estar e Educação de Qualidade, respectivamente, inserindo na discussão valores como o autocuidado, alimentação equilibrada e hábitos cotidianos saudáveis, entre outros.

Estudante do 5º ano da Escola Municipal Zeca de Faria, na Praça do Bambu, dia 19 de novembro – Foto: Délcio Gonçalves

A educadora Monique Alves pôde perceber no cotidiano escolar que a abordagem do tema foi pertinente para que seus alunos pudessem compreender questões delicadas, vivenciadas por eles na escola e para além dos muros dela, mostrando a importância da Família e possibilitando o diálogo sobre bullying, além de ensinar que o Amor e a Amizade são muito mais importantes do que se parece.

CLIQUE AQUI E ACESSE A COBERTURA COMPLETA DE FOTOS.

IPEARTES – Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis

O IPEARTES, Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis, da Secretaria de Estado da Educação de Goiás – SEDUC/GOIÁS, atua na promoção de uma educação transformadora, fundamentada na arte-educação e tecnologias sustentáveis, estimulando o desenvolvimento do ser humano em sua plenitude. Para isso, busca ser referência em educação integral, de maneira a potencializar o desenvolvimento das pessoas, considerando as dimensões cognitiva, física, afetiva e seus processos socioculturais. 

O IPEARTES desenvolve ações educativas em toda a região da APA Pouso Alto, que inclui as cidades de Alto Paraíso de Goiás, Monte Alegre, São João d’Aliança, Colinas do Sul, Cavalcante, Teresina de Goiás e Nova Roma. Além das diversas atividades desenvolvidas em sua sede, o Instituto atua no Educandário Humberto de Campos, escola-piloto do projeto, localizada na Cidade da Fraternidade, e também no Centro de Vivências Crescer, Escola de Educação Infantil Francisquinho, CRAS, Centro de Convivência da Criança e do Adolescente, no Colégio Estadual Gerson de Faria, com extensões na comunidade do Moinho, além de colaborar com a ASJOR – Associação de Moradores da Vila de São Jorge, entre outros espaços educativos da região.

Deixe uma resposta

Tamanho da fonte
Contraste