IPE HUMANAS E LINGUAGENS

Constituído por educadoras das áreas de ciências humanas, linguagens, pedagogia e arte educação, o coletivo IPEHumanas e Linguagens está voltado à pesquisa, sistematização e circulação de metodologias ativas desde a educação infantil até a educação de jovens e adultos, na perspectiva da educação formal e não formal.

A necessidade da existência desse coletivo é justificada face aos instrumentos tradicionais consolidados pelas políticas educacionais brasileiras ao longo do tempo, que se voltaram para a ênfase conteudística em detrimento das demais habilidades e competências dos sujeitos envolvidos no processo ensino-aprendizagem. Nosso interesse por pesquisar, sistematizar e experimentar metodologias ativas, mais que apenas se opor aos aspectos negativos dos métodos tradicionais, vai ao encontro das singularidades e especificidades de nossa região de atuação, o nordeste goiano – especificamente os municípios situados na Área de Proteção de Pouso Alto (APA de Pouso Alto), território constituído não apenas por áreas urbanas, mas também por comunidades remanescentes de quilombos, garimpo e assentamento/acampamentos rurais.

OBJETIVOS

Compartilhar entre as educadoras metodologias de ensino-aprendizagem nas áreas das Ciências Humanas, Linguagens e Pedagogia.

Nesse sentido, nos orientaremos a partir dos seguintes objetivos específicos:
1- Desenvolver e sistematizar estudos e pesquisas para ampliar possibilidades metodológicas e melhoria das práticas pedagógicas;
2- Compartilhar experiências vivenciadas nas práticas educativas;
3- Promover alfabetização e letramento crítico em todas as ações e atividades desenvolvidas pelas/os educadoras que compõem o Coletivo, contribuindo na constituição da cidadania por meio da troca de saberes sensíveis;
4- Incentivar o vínculo entre escola, família e comunidade, promovendo ações que valorizem e fortaleçam a cultura local, com atenção ao sistema global;
5- Ampliar a Matriz da Arte/Educação, articulando-a com os demais componentes curriculares das ciências humanas, linguagens e pedagogia;
6- Acolher empaticamente as dificuldades cotidianas de professores das frentes em que atuamos, utilizando-se de ações que estimulem o desenvolvimento das competências socioemocionais no ambiente escolar.

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM

Promover aprofundamento de conhecimentos teóricos e práticos das educadoras, por meio de estudos coletivos.

DOCUMENTOS NORTEADORES

– Brasil. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica, 2018.
– Brasil. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional.
– Goiás. Currículo Referência da Rede Estadual de Educação de Goiás. Secretaria de Estado da Educação.
– Goiás. Lei nº 18.969, de 22 de julho de 2015. Aprova o Plano Estadual de Educação, para o decênio 2015/2025 e dá outras providências.
– FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 56º ed – Rio de Janeiro/ São Paulo: Paz e Terra, 2018.
– Organização das Nações Unidas. Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. 2015.

METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO

– Escuta ativa dos educadores que atuam em conjunto com a equipe IPEARTES para elencar pontos positivos e negativos da atuação do coletivo;
– Avaliação em grupo das ações promovidas pelo coletivo ao longo de um semestre;
– Rodas de conversas entre @s educador@s do coletivo, com o intuito de compartilhar experiências pedagógicas bem sucedidas e pontos que ainda precisam ser melhorados;

Tamanho da fonte
Contraste