CONTEXTO DE CRIAÇÃO

CONTEXTO DE CRIAÇÃO

O nordeste goiano é composto pelas microrregiões da Chapada dos Veadeiros e do Vale do Paranã. Por muitos anos foi conhecido somente como ‘corredor da miséria’, devido aos baixos níveis de desenvolvimento social e econômico da região, entre eles as altas taxas de analfabetismo e evasão escolar. Mas atualmente também é conhecido como um polo de ecoturismo que guarda o a última porção de cerrado nativo do mundo.

O Cerrado é um dos hotspots mundiais da biodiversidade. Este termo estrangeiro denomina as áreas no planeta reconhecidamente ricas em biodiversidade, mas que estão ameaçadas de extinção. Atualmente, existe apenas 20% de áreas nativas remanescentes de cerrado, sendo apenas 3% delas protegidas legalmente em áreas de parques e reservas, como o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (PNCV).

Diante da importância ambiental deste território, foi criado pelo governo do Estado de Goiás, em 2001, a Área de Proteção Ambiental Pouso Alto (APA), por meio do Decreto nº 5.419, que abrange uma área de 872.000 hectares no nordeste do Estado e que circunda o PNCV e inclui as cidades de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Teresina de Goiás, Colinas do Sul, Nova Roma e São João D’Aliança.

Por estas características, Alto Paraíso de Goiás foi escolhida como a cidade modelo de sustentabilidade do estado, no âmbito das 17 ODS da ONU. No dia 13 de junho de 2016, foi celebrada, em Alto Paraíso de Goiás, a assinatura do Acordo de Cooperação Técnica para a implantação dos 17 ODS ONU no estado. O documento assinalou a parceria firmada entre o Governo do Estado de Goiás, a prefeitura de Alto Paraíso e Associação Awaken Love. A ocasião também foi marcada pela homologação do plano de manejo da APA do Pouso Alto. E para atender a ODS 4 na cidade foi criado o Instituto de Pesquisa, Ensino e Extensão em Arte Educação e Tecnologias Sustentáveis/IPEARTES.

 

PESQUISA SOBRE A JUVENTUDE

Uma das primeiras atividades do IPEARTES/SEDUC foi buscar conhecer as pessoas no território. Nos meses de setembro a novembro de 2016, foi realizado pelo coletivo educador do IPEARTES/SEDUC uma pesquisa em todas as escolas do município, nas turmas de 8° ano do Ensino Fundamental II a 3ᵃ série do Ensino Médio que ouviu mais de 400 jovens com o objetivo de conhecer seus interesses, desafios e sonhos. A maior preocupação dos jovens era em relação aos desafios de geração de renda e oportunidades de trabalho. E entre seus sonhos a família, o acesso as artes e um bom trabalho estava entre as prioridades destes jovens.

Este mapeamento se desdobrou no I Encontro Jovem de Alto Paraíso (ENJAP). A programação do ENJAP 2016 incluía vivências pedagógicas, atividades culturais, como cinema, sarau, apresentações musicais, vivências de autocuidado e saúde. Estas atividades buscavam promover experiências significativas, a fim de instigar os jovens a formularem alternativas de resolução aos problemas locais por eles apontados. De desenvolver e fortalecer as habilidades de cooperação e solidariedade, o trabalho em equipe, o respeito à diversidade provocar nos jovens o desejo de serem agentes transformadores de suas vidas em todas as esferas e níveis: o eu, a escola, a família, o bairro, a cidade, o estado, o país, o mundo e o universo.

Rádio do Bem Viver

Tamanho da fonte
Contraste